14 de fevereiro de 2012

Rodopio

Acordei pensando em que momento da vida eu gostaria de estar vivendo nesse exato momento. Pensei por poucos minutos e me surpreendi com a resposta ao dizer pra mim mesmo: esse! Há agora um furacão de sensações, rodopiando pelas dúvidas que não fui eu que criei, mas que me afetam mais do que seu próprio criador. Se fosse a alguns meses atrás, certamente eu teria medo desse furacão, mas aprendi a girar a cabeças por 360° quando olhar o céu. Vejo a minha frente a tempestade, e nos outros três lados que me cercam há céu azul. Afinal, tenho mesmo que temer esse vento rodopiante que insiste em me por medo? Claro que não!

Eu sempre gostei da aventura, de me arriscar, e já estava esquecendo o quanto é bom não ter certeza do que virá. Faz tempo que eu deixei a estrada e suas surpresas pra trás, mas estou voltando. Confesso que estou ansioso para sentir o rodopio do furacão, quem sabe tirar meus pés do chão, e se eu sentir que o vento se foi, que assim seja, eu vou olhar pro céu azul ao meu redor e cair na estrada, e tenho certeza que outra surpresa vai me receber de braços abertos. Mas estranhamente eu vou reafirmar o que penso, eu quero essa surpresa, esse rodopio e que venha o furacão...

Nenhum comentário:

Postar um comentário